Comunicação Fundos

Plano e Ações de Comunicação FEDER e Fundo de Coesão


A estratégia de Comunicação definida legalmente para o QREN tem uma atuação em três frentes: a nível global, desenvolvida pela Rede de Comunicação do QREN; no plano dos Fundos Comunitários, elaborada e concretizada pelo IFDR e pelo IGFSE, enquanto entidades coordenadoras do FEDER e Fundo de Coesão e do Fundo Social Europeu, respetivamente, e ainda, no âmbito dos Programas Operacionais, pelas Autoridades de Gestão.

Desta orientação decorreu para o IFDR a responsabilidade de assumir a comunicação FEDER e Fundo de Coesão e do Programa Operacional de Assistência Técnica FEDER (POAT FEDER), que reuniu num único documento, o «Plano de Comunicação Conjunto FEDER, FC e POAT FEDER».

A construção do Plano teve como ponto de partida a opinião dos portugueses sobre a aplicação dos Fundos em Portugal. A partir destes dados, a estratégia definida foi comunicar com base em imagens positivas e demonstração de resultados e impactos e, em paralelo, tornar mais real e familiar a União Europeia aos cidadãos portugueses.

Outra vertente da resposta a este desafio, foi adotar, como tónica de toda a comunicação, a ideia de que os Fundos resultam do esforço financeiro de cada cidadão e que, nessa medida, assiste a todos o direito de serem informados sobre a sua aplicação e os resultados obtidos.

Para além da resposta aos desafios emanados da opinião pública, na conceção do Plano de Comunicação procurou-se uma dimensão de trabalho em rede, no âmbito do QREN, respondendo igualmente aos pressupostos do Decreto-lei n.º 312/2007 de uma comunicação articulada nos diferentes níveis de governação QREN, de modo a acautelar sobreposições de mensagens e meios.

Maior proximidade dos Fundos aos cidadãos


O Plano de Comunicação Conjunto tem vários destinatários: a sociedade portuguesa e os públicos-alvo das áreas de aplicação dos Fundos, com os seus beneficiários atuais e potenciais e ainda com a sua mediatização.

A comunicação dos Fundos tem um eixo afetivo, que explica a história da aplicação dos Fundos em Portugal desde o início da intervenção comunitária, para não só criar ideias positivas sobre a modernização do país como também para familiarizar os portugueses com os Fundos.

A par deste eixo afetivo, a comunicação desenvolve-se num conjunto de três eixos mais racionais, tendo em vista mostrar o que foi feito no atual período de programação. Isto acontece de duas maneiras: de um ponto de vista central, ou seja mostrar o que se fez em todo o país com os Fundos - os projetos, as obras; e, também apresentar o impacto da aplicação dos Fundos na melhoria da vida das populações.

Comunicação do FEDER


O Plano de Comunicação pressupõe que cada Fundo tenha uma identidade bem formada, em função das suas vocações. Assim, quanto ao FEDER, posiciona-se como um Fundo que impulsiona o País a ir mais além no aumento da qualidade de vida das populações.

Ouça aqui a entrevista sobre o FEDER, prestada à Rádio TSF, ao programa «Objetivo 2013».


Comunicação do Fundo de Coesão


Para o Fundo de Coesão, dada a sua missão de acelerar processos de aproximação aos melhores níveis de desenvolvimento dos países europeus, fica-lhe reservado um posicionamento diferente. O Fundo de Coesão fomenta nos portugueses, o desejo de assumirem uma identidade mais europeia.

Ouça aqui a entrevista sobre o Fundo de Coesão, prestada à Rádio TSF, ao programa «Objetivo 2013».

Enviar página por e-mail